são peregrino lazioziSão Peregrino Laziosi nasceu no ano de 1265 em Forli, cidade italiana da região da Romanha. Quando jovem, participou ativamente das lutas partidárias dos “gibelinos” da sua cidade, seguidores do imperador e adversários do papa.
 
Nesse tempo, São Filipe Benizi, prior geral dos Servos de Maria, foi enviado pelo papa à cidade para pregar a paz. Enquanto falava ao povo, um bando de fanáticos atirou-se contra ele, expulsando-o da cidade com afrontas e pancadas. O jovem Peregrino estava entre eles. Mais tarde, arrependido, procurou o santo homem para pedir perdão.
 
A partir daí suplicava insistentemente à Virgem Maria que lhe mostrasse o caminho a seguir. Aos 30 anos, entrou na Ordem dos Servos de Maria no convento de Sena, onde conviveu com dois frades de insigne santidade, hoje venerados sob o nome de bem-aventurados Joaquim e Francisco de Sena.
 
Anos depois, voltou para Forli e aí se distinguiu por seu espírito de paciência e penitência e pelo amor aos mais pobres. Notável, sobretudo, seu espírito de penitência. Chorava os erros da vida passada e os confessava frequentemente. Submetia seu corpo a duros castigos. Quando sentia cansaço, reclinava a cabeça nos bancos da igreja ou em alguma pedra. Se o sono o surpreendia, não procurava a cama, mas deitava-se no chão duro.
 
Em decorrência desse estilo de vida tão sacrificado, aos 60 anos de idade, foi acometido por varizes na perna direita, que se transformaram em chaga maligna. Sem esperança de cura, o mé-dico, para salvar-lhe a vida, resolveu amputar-lhe a perna. À noite, Peregrino arrastou-se até a sala, prostrou-se aos pés do Crucificado, suplicou a Jesus que o libertasse do mal e adormeceu. Pela manhã, o médico constatou que a perna estava curada. Por isso, ele é venerado como protetor contra o mal do câncer.
 
Morreu em 1345. Foi canonizado pelo papa Bento XIII em 1726 e sua festa é celebrada dia 4 de maio. Seu corpo repousa na basílica dos Servos de Maria de Forli, onde continua sendo alvo da veneração dos seus concidadãos. Em 1942, Pio XII declarou-o padroeiro principal da cidade de Forli.
 
No município de Turvo, em Santa Catarina, há uma localidade chamada São Peregrino, com uma linda capela a ele dedicada.
 
Segue a oração que ele fez ao pé da cruz:
 
«Ó Redentor do gênero humano, para apagar os nossos pecados, vos submetestes ao suplício da cruz e à morte atroz. Quando estáveis neste mundo, vivendo no meio dos homens, a muitos curastes de toda sorte de doença. Purificastes o leproso, devolvestes a vista aos cegos que suplicavam: “Jesus, Filho de Davi, tem pena de nós!” Dignai-vos, pois, Senhor meu Deus, livrar a minha perna deste mal incurável. Se não o fizerdes, será preciso amputá-la. Amém!»